Início POLÍTICA Chegada de Paulo Victor à Presidência deve provocar mudanças na relação entre...

Chegada de Paulo Victor à Presidência deve provocar mudanças na relação entre Executivo e Legislativo

48
0

Os dois lados da moeda. Se a filiação do prefeito de São Luís – Eduardo Braide ao PSD somada à aproximação do PRB lhe colocam em uma posição de boa competitividade para disputar à reeleição, olhando por outro prisma, a chegada do vereador Paulo Victor(PCdoB) ao comando do Poder Legislativo, deverá fazer com que o gestor ludovicense, para os próximos dois anos, repense a forma de conduzir a gestão municipal.

Prefeito Eduardo Braide

Com presença e propósitos distintos do atual presidente – vereador Osmar Filho(PDT), que a partir de 31 de dezembro deixa os quadros do legislativo municipal rumo à Assembleia estadual, de forma clara, uma leitura se abstrai dos vários pronunciamentos feitos pelo próximo presidente da Câmara Ludovicense: o Poder Legislativo, enquanto Poder, será prioridade.

Sabemos que o caminho será longo e tortuoso, mas gozando da simpatia dos seus pares e, ainda, do governador Carlos Brandão(PSB), o estilo arrojado, um maior investimento na qualificação técnica e a obstinação poderão ser o combustível propulsor para levar Paulo Victor ao Palácio La Ravaridere.

A importância da Câmara

Sem sombra de dúvida, por conta do grande número de postulantes a uma das 31 vagas à Câmara Municipal de São Luís, a quarta mais antiga do País, a vereança no maior colégio eleitoral do Estado sempre foi acirrada.

Apontado como o político mais próximo do eleitor, o edil municipal representa a porta de entrada para que as ações do Poder Público, atendendo o pleito do cidadão e das entidades civis, cheguem à comunidade.

O individualismo, a centralização e o desrespeito ao parlamento, infelizmente, tem marcado a gestão do prefeito Braide, contudo em 2023, sob pena de inviabilizar seu projeto político para 2024, essa relação deverá ser revista.

Em vários momentos da história política, o Parlamento Ludovicense teve um papel decisivo no processo sucessório vindouro, feito repetido em 2022, quando o apoio de mais de 70% dos vereadores de São Luís assegurou à reeleição do governador Carlos Brandão ainda no primeiro turno.

Dos 1.769.187 milhões dos votos válidos(51.19%), o socialista obteve na capital 256.029 mil(45,57%). Levando em conta os 142.171 mil votos dos 31 eleitos em 2020, e a declaração de apoio de 22 com seus 99.519,70 mil votos, em uma análise matemática simples, conclui-se que mais de 35% da votação de Brandão em São Luís foi uma conquista dos vereadores.

Desta feita, mesmo com os últimos movimentos junto ao PSD e PRB, contando, a partir de então, com o apoio de apenas 3 dos 31 vereadores, exceto que seja doido, inábil ou adepto de São Tomé, o prefeito vai permitir que, sob a batuta de Paulo Victor, a ausência de diálogo com os atuais inquilinos do Palácio Pedro Neiva de Santana coloque em cheque o projeto de reeleição, razão pela qual é grande a expectativa na mudança comportamental de Braide a partir de janeiro. Vamos aguardar!

Artigo anteriorMaranhense de Pedreiras mata namorada em Minas Gerais
Próximo artigoFederação de Umbanda emite nota sobre caso envolvendo suposto “pai de santo” em Joselândia
Jornalismo Faculdade Estácio MA Especialistas em Marketing Digital RP -19-03MA Blogueira por paixão

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui