Início Sem categoria Adolescente que contraiu doença de Chagas ao tomar açaí toma 4 pílulas...

Adolescente que contraiu doença de Chagas ao tomar açaí toma 4 pílulas por dia e sonha em ser médica Menina contraiu a doença em 2016 e perdeu o irmão e a cunhada para a doença. Francisca Adriele vai à médica mensalmente.

1
0

Adolescente que contraiu doença de Chagas ao tomar açaí toma 4 pílulas por dia e sonha em ser médica  (Foto: Arquivo pessoal e Adelcimar Carvalho/G1)Um coração que voltou a bater 100%. Esse é o atual quadro da adolescente Francisca Adriele da Costa, de 14 anos. A menina contraiu a doença de Chagas após beber açaí – ela e mais sete pessoas da família foram acometidas pela doença.

Na época, o irmão dela, Francisco Maian da Costa, de 18 anos, e cunhada Celiana Silva, de 17, morreram após complicações da doença. Já Francisca, que tinha 12 anos na época, ficou 45 dias internada, destes, 18 na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

A família ingeriu o barbeiro ao produzir açaí na comunidade que moram em Nova Cintra, em Rodrigues Alves.

Atualmente, a garota passa por avaliação mensal com uma cardiologista que a acompanha há dois anos. A lesão no coração causada pela doença foi revestida e os batimentos, que chegaram a ficar em 29%, hoje estão completamente normais.

O tratamento inclui quatro pílulas por dia e uma alimentação sem gordura e muito sal.

“Graças a Deus estou viva. Na escola minha vida segue normal. Apesar do período que fiquei afastada devido a doença, consegui ser aprovada e sigo em frente”, conta.

A experiência fez com que a adolescente alimentasse o sonho de ser médica. Ela acredita que assim poderia ajudar outras pessoas. “Quando crescer quero ser médica como a doutora Joseane [médica dela] para ajudar a salvar vidas como ela salvou a minha. A doutora é minha inspiração”, diz.

A adolescente revela ainda que no início do tratamento sentia muitos sintomas da doença. Dois anos após ter sobrevivido a doença, ela está otimista e disposta. Os cuidados também foram redobrados.

“Não me alimento como antes. Minha comida é sem gordura, com pouco sal e mudou minha rotina de vida. No começo da doença não me incomodava, mas depois da morte do meu irmão fiquei com muito medo. Temia morrer como ele e a esposa”, revela.

A cardiologista que acompanha a jovem, Joseane Tonussi diz que o caso foi tratado como um surto familiar e que, inclusive, foi tema do seu mestrado. Ela explica ainda que se o diagnóstico não tivesse sido rápido, Francisca poderia não ter sobrevivido.

“Se se não tivéssemos descoberto que a causa do problema dela era doença de Chagas, teríamos tratado apenas a insuficiência cardíaca, pois chegou ao hospital num quadro muito grave. Mas, por ter vindo de uma área onde a família já tinha caso doença de Chagas, pensei no quadro e iniciei o remédio específico para matar o bichinho dentro do organismo dela”, relembra a médica.

A mortalidade para esse tipo de doença é de 90%, segundo Joseane. Porém, em crianças e adolescentes, se o diagnóstico for rápido, a doença pode ser controlada.

“Que é o que está acontecendo com a menina. No primeiro momento, o coração dela ficou batendo 29% e atualmente está normal. Ela saiu de um quadro gravíssimo para um de normalidade no coração”, garante.

A família continua residindo na comunidade Nova Cintra, no interior de Rodrigues Alves e mensalmente se desloca a Cruzeiro do Sul, onde fazem acompanhamento mensal com a médica cardiologista.

Após perder dois integrantes, família comemora recuperação da jovem depois de dois anos  (Foto: Adelcimar Carvalho/G1)Após perder dois integrantes, família comemora recuperação da jovem depois de dois anos  (Foto: Adelcimar Carvalho/G1)

Após perder dois integrantes, família comemora recuperação da jovem depois de dois anos (Foto: Adelcimar Carvalho/G1)

Artigo anteriorMãe de três crianças mortas em incêndio em ocupação de SP tinha ido buscar carne em vizinha Mulher foi internada em estado de choque em hospital de São Paulo.
Próximo artigoLUXÚRIA: Marcela e Michel Temer gastaram R$ 12 milhões em cartões corporativos em seis meses
Jornalismo Faculdade Estácio MA Especialistas em Marketing Digital RP -19-03MA Blogueira por paixão

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui